Categorias
Bem-Estar Medicina Saúde

5 Remédios que estão em testes contra o coronavírus

Cada vez mais a ciência têm mostrado a sua importância. Em meio a uma pandemia, os países que investiram em seus pesquisadores, através de fundos públicos ou privados, estão na frente para encontrar a solução para o coronavírus. Veja quais são os medicamentos que estão sendo testados e quais têm sido os resultados encontrados até o momento.

Medicamentos contra o coronavírus

Entre as opções apresentadas, estão principalmente 5 medicamentos: Avigan, Hidroxicloroquina, Remdesivir e a combinação de Lopinavir com Ritonavir. Veja como estão os estudos com cada um.

Avigan

Esse é um medicamento japonês e é usado para combater gripes comuns. De acordo com o governo Chinês, ele apresentou bons resultados sem efeitos colaterais. Já uma pesquisa realizada no Japão, mostrou que o grupo que usou o Avigan se recuperou do covid-19 em 4 dias, enquanto os outros levaram em média 11 dias. Ele já mostrou ser eficiente, mas não é registrado na Anvisa, então não pode ser usado no Brasil.

Hidroxicloroquina

Esse medicamento é originalmente voltado para o tratamento da malária e está levantando muita discussão no Brasil. Enquanto alguns afirmam que ele é eficaz contra o coronavírus, estudos mostram que não é bem assim.

Uma pesquisa recente que defende o medicamento foi mal realizado e não responde nem mesmo a pergunta de partida do mesmo, sendo considerado não conclusivo por especialistas responsáveis.

Remdesivir

Criado para combater o ebola, ele ainda está em fase de teste para coronavírus. A única evidência que se tem é de usos esporádicos com melhoras consideráveis observadas. Mas isso não é o suficiente para permitir a utilização em massa. Cinco estudos estão sendo feitos nesse momento para garantir que é eficaz e liberar (ou não) o seu uso em humanos.

Lopinavir com Ritonavir

Esses são dois medicamentos muito famosos por serem usados no coquetel contra o HIV. Apesar de ser barato e trabalhar a imunidade do paciente, não se mostrou eficiente para combater o vírus. Na realidade, a taxa de mortalidade dos que utilizaram a combinação foi de 22%, mas isso também não pode ser conclusivo pois eles já estavam muito doentes.

O que se pode fazer agora é esperar que os países que valorizam a ciência mostrem os resultados do investimento, mostrando um remédio eficaz e lucrando muito com ele. Enquanto isso, pesquisadores guerreiros e solitários, em locais que cortam bolsas de pesquisadores, também trabalham duro para trazer o mesmo resultado, porém com muito menos recursos. O que se pode fazer nesse momento é orar para que encontrem logo o melhor caminho para a cura.

Categorias
Medicina

Top 3 Remédios Naturais para Emagrecer e Liberados pela Anvisa em 2018

Um remédio para emagrecer natural pode ser a solução para perder peso rápido, no entanto a maioria dos fármacos devem ser combinados com regime alimentar e exercícios, pois sozinhos não trazem os resultados esperados.

No Brasil foram liberados pela Anvisa em 2018 diversos produtos, alguns podendo até ser manipulados e adquiridos em drogarias.

A maioria dos medicamentos são vendidos apenas com prescrição médica. E vale ressaltar que por causarem vários efeitos colaterais, não é qualquer pessoa que pode adquiri-los.

De acordo com as orientações, somente pessoas com índice de massa corporal (IMC) de 30. Ou com IMC 27, desde que tenham doenças relacionadas com a obesidade.

Quais são os Remédios liberados pela Anvisa

Compreender e modificar suas atitudes alimentares é fundamental para perda de peso. Mas para algumas pessoas, isso não é suficiente, por isso acabam procurando um remédio químico para emagrecer como uma solução mais eficaz e duradoura.

A maioria dos profissionais de saúde concordam que o método mais saudável para perder peso é fazer exercícios regulares e uma dieta bem equilibrada de porções moderadas de alimentos saudáveis em relação a remédio para emagrecer rápido. A melhor maneira de perder peso é lentamente, perder um ou dois quilos por semana é viável e seguro, e fica mais fácil de manter os resultados.

Em primeiro lugar, se queremos falar sobre comprimidos para perda de peso é necessário fazer uma distinção entre medicamentos e suplementos. No primeiro caso, tais produtos só podem ser comprado em farmácias, normalmente sujeitos a prescrição. O segundo, estão à mercê de todos, em lojas de produtos saudáveis, alguns shopping center, na internet e na mesma farmácia.

Cada tipo de fármaco age de forma diferente no organismo, sendo os mais vendidos porque de certa forma, provaram alguma eficiência. Atualmente, os medicamentos aprovados para fins de emagrecimento são:

Anorexígenos

Os medicamentos anorexígeno agem como supressores do apetite, induzindo à aneroxia. E por causarem efeitos colaterais perigosos, são vendidos somente com prescrição.

Sacietógenos

Os medicamento sacietógenos atuam no sistema nervoso central, agem nos neurotransmissores, dopamina e noradrenalina. Seu principal efeito é a redução do apetite. Como exemplo podemos citar a Sibutramina.

Sibutramina

A Sibutramina age no cérebro, reduzindo a fome, por isso é considerada um supressor do apetite. No entanto é prescrita somente para pessoas com obesidade ou com doenças ligadas ao excesso de peso.

Xenical

O Xenical atua diretamente sobre o metabolismo da gordura, ajudando a impedir sua absorção e eliminado-as nas fezes. Portanto, quando tomar este medicamento, pode observar fezes gordurosas.

Orlistat

O Orlistate age reduzindo a absorção da gordura, e eliminando-a pela evacuacao. Tal ação, provoca efeitos como flatulência, fezes oleosas e urgência fecal, especialmente após a ingestão de alimentos ricos em lípidos particularmente.

Saxenda

O Saxenda é um medicamento injetável vendido somente com prescrição, seu principio ativo chamado de Liraglutida imita um hormônio produzido naturalmente pelo corpo, que regula o apetite, conhecido como GLP-1.

Quitosana

A quitosana é uma fibra que absorve gordura. Ela tem a capacidade de interagir com a gordura do sistema digestivo, limitando assim a sua absorção. Assim, pode ser um complemento eficaz para ajudar na perda de pesoou para estabilizá-lo.

Hydroxycut

Age como acelerador metabólico que estimula a queima de gordura e também como um inibidor de apetite, no entanto, devido seus efeitos colaterais foi proibida nos EUA e no Brasil a venda é controlada.

Outro muito famoso é a Liraglutida que também tem sua venda controlada como todos fármacos para emagrecer.

Os 3 Tipos de Remédios para Emagrecer mais Procurados

Os remédios para emagrecer agem de diversas maneiras no organismo para contribuir com a perda de peso. Entre os quais os mais procurados são: inibidores de apetite, queimadores e bloqueadores de gorduras. Mas será que eles são realmente são eficazes?

Diminuir a absorção de gordura

Os alimentos ricos em gorduras são os principais culpados do ganho de peso. A ideia é simples: se a gordura é impedida de ser absorvida pelo intestino é reduzido o volume de calorias, e acabamos perdendo peso.

É possível encontrar formulas naturais ou sintéticas, algumas substância chegam a bloquear até 30% da gordura de ser digerida.

Queimando a gordura acumulada

Outra maneira proposta para perder peso: eliminar os depósitos de gordura do corpo. Hoje em dia a maioria dos produtos queimadores de gordura encontrado no mercado são: chás, cápsulas e alimentos. Geralmente tais produtos são à base de plantas ou substâncias naturais.

A sobrepeso também ocorre por causa de um desequilíbrio: o consumo de energia maior, do que se gasta! Se não for possível diminuir a quantidade de calorias ingeridas, eliminar o excedente é o começo para perder peso.

Isto é a proposta de alguns produtos. Os medicamentos atualmente disponíveis são esperados para agir em vários níveis, mas não mantém suas promessas sem uma mudança real no comportamento alimentar.

Ainda com tantas opções no mercado, a dieta hipocalórica junto com atividade física regular são, definitivamente, os únicos métodos que provaram ser um sucesso para emagrecer.

Suprimir o apetite

Os problemas com excesso de peso são frequentemente relacionadas com problemas de comportamento de alimentação. O fato de beliscar constantemente ou comer sem ter realmente fome, por exemplo. A idéia então é diminuir o apetite da pessoa e eliminar o desejo por comida, isso é o que promete os produtos considerados inibidor de apetite.

Como Escolher um Remédio para Emagrecer

Os remédios em alguns casos podem ser um atalho para emagrecer rápido, em outros, representam um complemento importante para uma dieta. No entanto saber escolher o melhor entre tantas opções, pode ser uma tarefa difícil.

Os melhores são aqueles que conseguem perder peso sem ser prejudicial para o organismo. Eles podem agir de diversas formas para facilitar o emagrecimento: bloqueando gorduras, acelerando o metabolismo, outros agem como inibidores de apetite e outros são saciantes.

Para iniciantes

Um remédio para emagrecer caseiro também pode ser bastante eficaz. E sem dúvida, uma excelente alternativa para perder peso de forma saudável e sem efeitos colaterais. Os mais recomendados são: água morna com limão, chá de gengibre e shake de mamão com canela.

Alguns remédios para emagrecer naturais também são encontrados em cápsulas ou manipulados para facilitar o consumo, como no caso dos chás em saches, ou óleos e extratos naturais que já vem prontos para o uso. Alguns exemplos são: óleo de coco, chá de hibisco, chá verde, chia.

Para casos de obesidade

O Orlistat pertence ao grupo dos medicamentos inibidores da lipase. Lipases são enzimas digestivas que dividem a gordura ingerida, e assim se prepara para o processamento e utilização no corpo. Geralmente deve ser tomado pouco antes, durante ou depois de comer, desde que a refeição contenha uma quantidade moderada de gordura.

A Sibutramina age como um inibidor de apetite, chamado de anorexígenos, por reduzir a sensação de fome. O efeito baseia-se na inibição do centro da fome ou centro de saciedade no hipotálamo do cérebro. Isto reduz a ingestão de alimentos e ingestão de calorias, o que resulta numa redução no peso corporal.

Suplementos Naturais

Um produto vendido em farmácia e que funciona para perda de peso é o picolinato de crômio. Um mineral que tem um papel importante para ajudar a insulina no seu trabalho de introdução de açúcar (carboidratos) para os músculos, impedindo assim os sintomas de resistência à Insulina. Um exemplo de resistência à Insulina seria o aumento da gordura no abdómen.

Outro produto que pode ser adquirido em drogarias sem necessidade de prescrição é o quitosana, uma substância extraída da carapaça de crustáceos. Que teoricamente poderia ajudar a bloquear parte da gordura ingerida através da alimentação.

Tarjas

Os produtos de tarja preta são vendidos apenas com prescrição médica. Geralmente são fármacos que possuem maior risco para a saúde do consumidor. Com efeitos colaterais perigosos, podem causar dependência, morte ou sedação. Estas drogas são geralmente prescritas como última opção, onde não há nenhuma outra forma de tratamento mais eficaz.

No entanto se o produto for liberado pela anvisa, mesmo sendo tarja preta, pode ser adquirido em drogarias, desde que sob prescrição médica. Alguns dos recentemente liberados foram: Sibutramina, Orlistate, Liraglutida, Anfepramona e Anfetaminas.

Remédios Naturais mais Usados

Existem várias maneiras mais saudáveis para perder peso, mesmo que dê mais trabalho. Mesmo assim os remédios para perda de peso são os mais procurados como uma solução rápida para perda de peso a longo prazo.

Isso porque atualmente as pessoas não tem tempo para seguir uma dieta balanceada, e muito menos para praticar alguma atividade física. No entanto, de acordo com especialistas, um medicamento para emagrecer só será útil quando usado em conjunto com uma dieta saudável e exercícios físicos habituais.

A combinação desses três fatores: comer menos, exercitar mais e cápsulas para emagrecer – pode ajudar a perder entre 5% a 10% do seu peso corporal total dentro de um ano. Somente o uso do medicamento, sem quaisquer alterações da vida diária, não é uma maneira saudável e eficaz para perder peso.

Queimadores de Gordura

Geralmente esses produtos são feitos com ingredientes naturais, que promovem a queima de gordura. Seja, acelerando o metabolismo através do aumento da circulação sanguínea ou termogênese corpórea, ou obrigando o corpo a gastar mais calorias para sua síntese.

Entre os ingredientes mais famosos nesta categoria, se destacam: cafeína anidra, aminoácidos, l-carnitina, ômegas, óleos vegetais.

Inibidores de apetite

Esses produtos são utilizados para controlar a fome durante dietas de emagrecimento, para que você coma menos. Ao reduzir as calorias, você vai forçar seu corpo a queimar o excesso de calorias armazenadas em forma de gordura corporal.

Os inibidores de apetite podem ser naturais ou sintéticos, existem vários inibidores da fome clinicamente comprovados, como: sibutramina, liraglutida, anfepramona, anfetamina, picolinato de cromo, psyllium.

Desintoxicantes

Esse produtos servem para purificar o corpo de toxinas que atrapalham a perda de peso. Geralmente são fabricados com ingredientes naturais como: goji berry, spirulina, hibisco, catequinas.

O armazenamento de toxinas indesejadas interrompem o seu metabolismo e sistema digestivo. Estes ingredientes de purificação ajudam na perda de peso, eliminando tais resíduos em poucos dias, reforçando simultaneamente a taxa metabólica e sistema digestivo.

Antes de escolher um remédio para emagrecer, procure rever seu estilo de vida, e aplicar hábitos saudáveis na sua rotina diária. Pode começar trocando açúcar por adoçante, lanches industrializados por frutas, etc. Deixe os medicamentos como ultima opção, quando realmente não conseguir emagrecer de outra forma.

Os produtos sintéticos, são os preferidos porque prometem uma perda de peso rápida e garantida. Uma promessa atraente, principalmente se ela pode ser adquirida de forma fácil, mas, na realidade, emagrecer rápido é perigoso e prejudicial. Estes comprimidos podem ter efeitos colaterais irreversíveis, e os resultados finais, muitas vezes não funcionam.

Efeitos colaterais

É muito importante estar ciente dos perigos e efeitos colaterais de fármacos dietéticos. Principalmente se tais comprimidos são inibidores de apetite ou estimulantes, eles podem ter efeitos desagradáveis como: ​​aceleramento cardíaco e efeitos secundários gastrointestinais. E algumas substâncias que bloqueiam a absorção de gorduras no corpo, também podem atrapalhar a inclusão de nutrientes vitais.

Categorias
Medicina

Sibutramina: descubra tudo sobre este medicamento

Sibutramina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Atualmente a medicina oferece uma vasta quantia de medicamentos que atuam em casos e doenças específicas. Não seria diferente com o emagrecimento. Por ser um objetivo buscado por muitas pessoas, foram desenvolvidos produtos que atendem especificamente esta necessidade, como é o caso da sibutramina.

Neste artigo abordaremos tudo sobre a sibutramina, um medicamento muito utilizado para tratar casos de obesidade. Explicaremos o que é, os tipos, recomendações, contraindicações, benefícios, efeitos colaterais, entre outros pontos.

Já é de suma importância ressaltar que o uso da sibutramina não deve basear-se apenas na leitura do artigo, mas sim da indicação médica. Consulte um profissional da saúde antes do uso de qualquer medicamento.

O que é Sibutramina?

A sibutramina é um medicamento comumente utilizado para o tratamento da obesidade. Sua principal função é aumentar a sensação de saciedade e facilitar a perda de peso. Também é responsável por aumentar a termogênese, contribuindo para o emagrecimento.

É encontrado facilmente em farmácias, no formato de cápsulas, e pode ser adquirido por meio de receita médica. Alguns de seus nomes comerciais mais comuns são: Reductil, Plenty, Sibus, Biomag, Nolipo, Grece, Slenfig, Vazy, Saciette, Sibuctil, Sibutran, Sigran, entre outros. O valor comercial varia de R$25,00 a R$60,00. 

Tipos de sibutramina

Apenas a título de curiosidade, a sibutramina é o medicamento emagrecedor mais antigo no Brasil com registro válido. Ele é consumido em território nacional desde 1998. Há 22 tipos de sibutramina disponíveis no mercado brasileiro.

Sobre os tipos, a sibutramina pode ser classifica em dois, as de 10 mg e de 15 mg. Inicialmente é recomendado que o tratamento seja feito com doses menores, porém, há casos em que não é suficiente. Para tanto, o médico indica o uso da dose mais elevada.

Para quem é recomendado?

Já sabemos que a sibutramina é recomendada para pessoas que buscam a perda de peso, porém, deve ser em casos que foi constatado a obesidade. Para tanto, o IMC (índice de massa corporal) do indivíduo deve ser superior a 30 kg/m². O medicamento deve ser um suplemento no processo de emagrecimento, que deve contar com uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas.

Dose

Cada tratamento varia de acordo com o paciente e a necessidade. De modo geral, a dose inicial e recomendada é de uma cápsula de 10 mg ao dia. Pode ser que em alguns casos o médico faça o pedido de uma cápsula de 15 mg ao dia. 

Há uma recomendação que o tratamento com uso da sibutramina não ultrapasse dois anos, por isso é ideal e necessário que ele seja complementado com atividade física e alimentação regrada, para que os resultados apareçam mais facilmente.

Geralmente o medicamento é ingerido na parte da manhã, mas caso aja esquecimento ele pode ser ingerido em outro horário, antes ou depois de refeições, sem alterar seu efeito. Porém, tente sempre lembrar-se de fazer o uso como recomendado pelo seu médico.

Reforçamos que nenhum medicamento pode ser ingerido por conta própria. Em todos os casos e situações devem ser recomendados por um profissional da saúde que acompanhe seu caso. 

Como a sibutramina atua no corpo?

Para que o emagrecimento seja efetivo, a sibutramina atua em nível cerebral, estimulando os neurônios e promovendo uma sensação maior de saciedade, sendo assim, o paciente sente menos vontade de comer e consegue com facilidade realizar uma dieta. Porém, se o uso do medicamento for interrompido rapidamente, é possível que o usuário engorde novamente, porque não terá mais a sensação de saciedade.

O objetivo com uso da sibutramina é a perca de pelo menos dois quilos no primeiro mês de tratamento. Caso essa meta não seja alcançada, o médico poderá aumentar a dose do paciente para acelerar o processo. Pesquisas apontam que os pacientes que optam pelo medicamento no tratamento perdem de 10 a 15% do peso já nos seis primeiros meses.

É claro que a sibutramina pode não atuar e provocar os resultados esperados em seu corpo. Se em três meses você não perder pelo menos 5% do peso inicial é indicado que interrompa o uso do medicamento e faça um novo tratamento, com outros métodos. É claro que sempre acompanhado pelo seu profissional da saúde.

Efeitos colaterais

Veja quais são os possíveis efeitos colaterais do uso da sibutramina. Lembrando que nem todos os pacientes sofrerão algum deles.

  • Prisão de ventre;
  • Insônia;
  • Sensação de boca seca;
  • Palpitações;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Sensações de frio, calor e formigamento da pele;
  • Delírio;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Alteração no paladar;
  • Ansiedade;
  • Suor intenso;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Agravamento de hemorroidas;
  • Náuseas;
  • Vasodilatação;
  • Azia, entre outros.

Desta forma, é essencial que o uso da sibutramina parta de uma indicação médica e que você faça os exames necessários antes da utilização para garantir que não sofrerá nenhum tipo de efeito colateral.

Recomendações

A sibutramina é recomendada no tratamento de casos de obesidade e sobrepeso, quando ele é associado a comorbidades da obesidade ou aumento da circunferência abdominal.

Deve ser prescrito por um profissional da saúde para que seu uso possa ser feito diariamente e sem perigos a saúde. É ainda altamente recomendado que seu uso esteja associado com uma reeducação alimentar e a prática de atividades físicas.

Precauções

O médico responsável pelo seu tratamento, antes da indicação do uso da sibutramina deve eliminar causas orgânicas de obesidade, ou seja, verificar se o paciente não possui, por exemplo, um caso de tireoide que não foi tratado.

Durante o tratamento com o medicamento é indicado também que mantenha sempre a medição de sua pressão arterial e frequência cardíaca, que podem sofrer alterações, especialmente nos primeiros dias de uso.

É indicado que nos primeiros três meses de tratamento o paciente faça a medição da pressão a cada duas semanas. Entre os quatro e seis meses, deve ser apenas uma vez por mês, e após esse tempo, de três em três meses.

Há alguns medicamentos que se o paciente já fizer uso é importante que sejam relatados ao médico antes do início do tratamento. São eles: lítio, álcool, cetoconazol, iscocarboxazida, diltiazem, selegilina, eritromicina, fenelzina, sumatriptano, anfetaminas, clopidrogel, fentanil, venlafaxina, inibidores da monoamino-oxidase e antidepressivos ISRS, como fluoxetina, sertalina, escitalopram, entre outros. 

Mesmo que seu medicamento de uso contínuo não esteja nesta lista é importante que apresente ao médico antes de iniciar o tratamento com a sibutramina. 

Contraindicações

Assim como a maioria dos medicamentos, a sibutramina também possui contraindicações de uso. Pacientes com histórico de diabetes mellitus tipo 2 e que possua outro fator de risco, como colesterol alto, hipertensão, doenças cardíacas, distúrbios alimentares (anorexia e bulimia) ou que sejam fumantes devem evitar o consumo.

Também é contraindicado para usuários de outros medicamentos do tipo supressores de apetite, descongestionantes nasais, antidepressivos ou antitussígenos.

Conforme apresentamos, a sibutramina é indicada para pessoa que possuem o índice de massa corporal de 30kg/m², ou seja, pacientes com um IMC inferior não pode fazer o uso do medicamento. Crianças, adolescentes, grávidas e idosos com mais de 65 anos também devem evitar.

Sibutramina é proibida?

Possivelmente ao pesquisar sobre sibutramina você terá encontrado notícias mostrando que ela foi proibida em alguns países, mas não no Brasil. Em 2010, a European Medicines Agency emitiu um comunicado que suspendia a comercialização do medicamento.

Segundo uma análise do Committee for Medicinal Products for Human Use, os benefícios da sibutramina seriam menores que os ricos e efeitos colaterais que ela poderia causar nos pacientes. Ainda em 2010, os Estados Unidos e Canadá também suspenderam a autorização.

No caso do Brasil, os endocrinologistas argumentam os estudos e apontam que os índices foram supervalorizados e que os resultados não são suficientes para eliminar ou suspender a comercialização da sibutramina.

A Anvisa, em parceria com a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) realizaram um pronunciamento apontando serem favoráveis ao uso da sibutramina, sempre avaliando o caso do paciente.

Perguntas frequentes

Selecionamos algumas das maiores dúvidas relacionadas ao uso da sibutramina para esclarecer todos os questionamentos.

  • Quem pode indicar a sibutramina?

Geralmente são endocrinologistas que indicam o uso da sibutramina para o emagrecimento, especialmente para casos de obesidade e que o paciente não tenha nenhum fator de risco que possa impedir o tratamento completo.

  • Se eu parar de uma vez posso engordar novamente?

Há casos de paciente que pararam o uso da sibutramina e do tratamento sem supervisão médica e engordaram novamente. Independente do procedimento que realize para o emagrecimento é preciso que ele seja contínuo para que não provoque o resultado reverso.

  • Apenas a sibutramina é suficiente para emagrecer?

A sibutramina é um medicamento, mas sozinho não fará milagre. Não adianta você ter uma péssima alimentação e uma vida sedentária e tomar o remédio. Ela deve ser aliada ao acompanhamento médico e a hábitos mais saudáveis para que os resultados sejam reais.

  • Se eu parar o tratamento posso voltar novamente?

Poderá voltar apenas com supervisão médica e após ter seu caso analisado por um profissional da saúde. Porém, há o risco dos efeitos do medicamento já não serem os mesmos da primeira vez que fez o uso.

  • Caso minha pressão aumente, posso tomar um remédio para hipertensão e continuar o tratamento?

Neste caso você deve procurar seu médico para que analise se é melhorar interromper o uso ou adicionar uma outra medicação para controlar a pressão.

  • Qual dose de sibutramina é indicada para o meu caso?

De modo geral os tratamentos iniciam com a dose de 10 mg por dia. Porém, há casos em que a dose é maior, sendo 15 mg por dia. Apenas o médico poderá indicar qual o melhor para o seu caso.

  • Devo realizar algum exame antes de tomar a sibutramina?

O médico que acompanhará o resultado pedirá exames para verificar se possui outras doenças que podem ser afetadas com o uso da sibutramina. É necessário ter todas as informações sobre seu estado de saúde antes do início do processo.

  • Onde e como comprar sibutramina?

Assim como todo medicamento, a sibutramina só pode ser comprada mediante receita médica. Você encontra ela em qualquer farmácia e seu valor varia de R$25 a R$60, dependendo da quantia de cápsulas por embalagem e do peso da dosagem.

  • Eu vou ter efeito colateral tomando sibutramina?

Não. Há pessoas que podem ter efeitos colaterais e há aqueles que não. Há muitos fatores que podem interferir para que você sinta ou não um ou mais dos efeitos colaterais. Caso tenha, será necessário avisar ao médico responsável pelo seu tratamento.

  • Os resultados com a sibutramina são rápidos?

Considerando que o medicamento pode ser consumido no máximo por dois anos consecutivos, os resultados não são tão demorados. É claro que eles serão mais rápidos e eficazes se você aliar o uso da sibutramina com a prática de atividades físicas e uma alimentação balanceada. Hábitos saudáveis são essenciais neste processo de emagrecimento.

  • Estou tomando sibutramina e não emagreci. O que fazer?

Você deve consultar seu médico para verificar os motivos. Inicialmente é importante considerar que o emagrecimento pode não acontecer se você tomar o medicamento e não ter novos hábitos mais saudáveis, como atividade física e alimentação balanceada. Se ainda assim não ter resultado, é melhor que consulte seu médico e que ele possa indicar um tratamento que se adeque melhor ao seu corpo e organismo.

Fique de olho

Para manter a sibutramina válida, é recomendado que converse o produto em temperatura ambiente (entre 15º e 30º) e fora da luz solar. Sempre fique atento com o prazo de validade do medicamento e não faça uso fora do prazo, pois pode acarretar malefícios para a saúde.

Se está buscando um auxiliar para o seu processo de emagrecimento, converse com um profissional da saúde para que ele verifique se você pode utilizar a sibutramina. Siga todas as recomendações e faça a associação do medicamento com exercícios físicos e alimentação saudável para obter o resultado esperado.

Categorias
Bem-Estar Medicina Saúde

Semaglutida (Ozempic) para diabetes é usado de forma errada como remédio para emagrecer

Semaglutida Ozempic para que Serve

Usado como tratamento para casos de diabetes o medicamento Ozempic (semaglutida) para controle crônico de peso, em associação a uma dieta baixa em calorias e aumento de exercício físico.

A indicação de uso da formulação é para adultos com Índice de Massa Corporal (IMC) de: – 30kg/m² ou maior (obeso) ou; – 27kg/m² ou maior (sobrepeso) na presença de pelo menos uma comorbidade relacionada ao peso, como disglicemia (pré-diabetes e diabetes mellitus tipo 2), hipertensão arterial, dislipidemia ou apneia obstrutiva do sono.

A semaglutida é um agonista do receptor do peptídeo semelhante ao glucagon 1 humano acilado (GLP-1). O GLP-1 é um regulador fisiológico do apetite e da ingestão de calorias e o seu receptor (GLP-1R) está presente em várias regiões do cérebro envolvidas com a regulação do apetite. A Agência esclarece que a segurança do produto continuará sendo monitorada com estudos pós-comercialização, que estão em andamento.

Indicação:

Ozempic é um medicamento injetável, que ajuda a perder gordura e controlar o peso corporal, indicado para o tratamento da obesidade e excesso de peso em adultos.

Posologia:

A dose máxima recomendada de Ozempic para adultos é de 3 mg por dia, podendo ser administrada em qualquer altura do dia, independentemente do horário das refeições.

Quando estiver a inciar pela primeira vez o tratamento com Ozempic, é recomendada a administração de 0,6 mg por dia durante a primeira semana, devendo aumentar a dose diária nas semanas seguintes até que seja atingidos os 3 mg por dia, de acordo com as indicações da tabela seguinte: Semana Dose Diária (mg) 1 0,6 2 1,2 3 1,8 4 2,4 5 e seguintes 3

A injeção diária de Ozempic deve ser administrada debaixo da pele do abdômen, coxa ou braço, nunca intravenosamente ou intramuscularmente, podendo o local e o horário das injeções ser mudado a qualquer altura, não havendo a necessidade de ajustar a dosagem.

O tratamento com Ozempic nunca deve ser interrompido sem conhecimento do seu médico e as doses e a duração do tratamento devem ser respeitados.

Efeitos Colaterais:

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns de Ozempic incluem: náuseas ou enjoos, hipoglicêmia, diarreia, prisão de ventre, vômitos, dores de cabeça, perda de apetite, dispepsia, fadiga, tonturas, dores abdominais e aumento da concentração da lipase, problemas na vesícula biliar ou insuficiência renal, assim como câncer de mama e tireoide.

Contraindicações

A administração de Ozempic é contraindicada: para o tratamento da diabetes tipo 2, se for administrado juntamente com insulina ou com Victoza, com outros medicamentos para o tratamento da obesidade ou outros medicamentos agonistas do receptor de GLP-1, a pacientes com doenças cardiovasculares ou pancreatite aguda, a pacientes com historial familiar de carcinoma medular da tiroide ou síndrome de neoplasia endócrina múltipla tipo 2, a pacientes alérgicos à semaglutida ou qualquer outro componente da fórmula, em crianças, mulheres grávidas ou amamentando e a pacientes com doença da vesícula biliar aguda, hipoglicêmia aguda, ritmo cardíaco acelerado, insuficiência renal, reações de hipersensibilidade ou com comportamento suicida.

Farmacocinética

Ozempic, tem na sua composição a Liraglutide, um composto que proporciona a redução de peso corporal através da diminuição da quantidade de calorias absorvidas pelo organismo.

Após a absorção subcutânea de Ozempic, estima-se que a concentração máxima no sangue de Semaglutida seja atingida após 11 horas da administração da dose. Liraglutide é um agonista do receptor de GLP-1, o que faz com que estimule a secreção de insulina e diminua a secreção de glucagon de uma forma dependente da glucose, o que pode conduzir a uma redução das concentrações de glucose no sangue.

Advertências e Precauções

O tratamento com Ozempic deve sem feito em conjunto com uma dieta baixa em calorias e prática de exercício regular. Para o caso do tratamento da obesidade, Ozempic só deve ser administrado a pacientes com um índice inicial de massa corporal igual ou superior a 30 Kg/m2.

Para o caso do tratamento do excesso de peso, Ozempic só deve ser administrado a pacientes com um índice inicial de massa corporal igual ou superior a 27 Kg/m2, com doenças associadas, como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, dislipidemia ou colesterol alto.

Durante o tratamento com Ozempic, não é conhecido o risco de aparecimento de Carcinoma Medular da Tiroide, pelo que o paciente deverá estar atento ao aparecimento de tumores da tiroide e sujeito a exames de rotina para a monotorização da calcitonina sérica.

Antes de tomar Ozempic informe o seu médico se estiver a tomar outros medicamentos, uma vez que Ozempic retarda o esvaziamento gástrico, podendo assim afetar a absorção de outros medicamentos quando administrados em conjunto.

Categorias
Medicina

Lorcaserina Emagrece

A lorcaserina emagrece mesmo pois é um fármaco anoréctico que age como um supressores de apetite, cuja substância ativa é o cloridrato de lorcaserin. Esta molécula age diretamente sobre receptores de serotonina do cérebro que controla a fome e a vontade de comer.

Lorcaserina como funciona?

Seu modo de ação é através da ativação do receptor do 2C, um neurotransmissor da serotonina no cérebro. A serotonina também está envolvida em muitos processos no corpo, incluindo o humor, o sono e a temperatura corporal. Mas segundo especialistas, para ser verdadeiramente eficaz, seu uso deve ser associado com uma dieta saudável e equilibrada e atividades físicas regulares.

Lorcaserina para que serve?

Este é o primeiro medicamento anti-obesidade aprovado por mais de 13 anos, pelo FDA no Estados Unidos, e desde do final do ano passado, foi liberado também no Brasil, com venda sob prescrição médica, somente para adultos obesos (com índice de massa corporal de 30 ou mais) e aqueles com excesso de peso (índice entre 27 e 30) que também apresentam pressão alta, colesterol elevado ou diabetes tipo 2.

Lorcaserina como tomar?

Deve-se tomar 2 vezes por dia com as refeições ou após. O tratamento deve ser de no máximo 12 semanas, não mais. Aumentar a dose não faz com que se perda mais peso, e como qualquer outro remédio para emagrecer, lorcaserina pode causar efeitos colaterais como dor de cabeça, náuseas, tonturas, boca seca, constipação e fadiga.

A Lorcaserina precisa de bula?

A lorcaserina precisa de receita controlada, além disso, é proibida para mulheres grávidas. E tomar esta medicação pode causar outros efeitos secundários como alergias, problemas com os rins ou doença cardíaca. Em doses elevadas, os efeitos neuropsiquiátrico foram vistos, como psicose, ansiedade ou euforia com alucinações.

Lorcaserina depoimentos e antes de depois

Estatísticas mostraram uma perda de peso de 3kg em média, entre as pessoas que seguiram este tratamento durante 1 ano, junto com dieta e atividades físicas. Em resumo, tomar lorcaserina sem dieta e exercício não tem efeito sobre o peso. E seu uso é recomendado principalmente para pessoas que sofrem de obesidade.

 

Lorcaserina onde comprar?

Somente e possível comprar com receita medica, pois se trata de um fármaco controlado e vendido com a marca Belviq.

Estudos: https://www.reuters.com/article/us-arena-obesity/fda-oks-first-obesity-drug-in-13-years-idUSBRE85Q1AA20120627

Categorias
Medicina

Desobesi-m Emagrece Mesmo

Um dos anorexígenos disponível no mercado o Desobesi-M emagrece mesmo! Aqui você ficará sabendo mais sobre este bloqueador de apetite e tira suas dúvidas quanto a contra-indicações, reações adversas, e outras informações. Confira!

O objetivo do Desobesi-M é o tratamento da obesidade. Com a democratização e conhecimento das pessoas pelos inibidores de apetite, muito se fala sobre o medicamento e é utilizado por pessoas não obesas que desejam perder uns quilinhos a mais.

As contra-indicações do Desobesi-M são pacientes com doenças cardiovasculares, como hipertensão, hipertireoidismo, glaucoma, mulheres grávidas ou em período de amamentação, pessoas com distúrbios psiquiátricos como depresão, epilepsia e alcoolismo crônico.

Entre os efeitos colaterais estão o tremor, irritabilidade, fraqueza, insônia, ansiedade, dores de cabeça, hipertensão, boca seca com gosto metálico, câimbras, alteração do desejo sexual e outros.

O remédio para emagrecer age no hipotálamo, área do cérebro responsável pela sensação da fome e pode causar dependência, por isso é necessário a procura de um médico endocrinologista que fará uma avaliação e indicará as melhores soluções para o uso do medicamento.

Em caso de superdosagem, deve-se administrar cloreto de amônio, para que a urina fique ácida e haja a saída do medicamento por ela.

Categorias
Medicina

Efedrina para que Serve

A efedrina serve para emagrecer mesmo pois é uma substância retirada de uma planta chamada Ma-Huang, utilizada há séculos com finalidade terapêutica entre os chineses. Além de estar presente em diversos remédios usados no tratamento de doenças respiratórias, hipertensão e broncoespasmos, podemos encontrá-la em remédios para emagrecer.

Veja qual a dosagem correta da Efedrina

Isso porque provoca uma aceleração do metabolismo, causando o aquecimento corporal, gerando assim, queima de gordura é a sua principal função e por isso é usada para essa finalidade. Mas conforme sua bula possui efeitos nocivos ao organismo, e a perda de peso com o uso do medicamente varia com relação à dose ingerida.

Ao longo dos tempos, com os avanços da medicina, a substância, que pode ser encontrada em mais de 40 espécies de plantas dessa família, passou a ser utilizada na composição de diversos medicamentos, como vasopressores, broncodilatadores e descongestionantes nasais. Entretanto, o uso da efedrina nos medicamentos passou a se tornar restrita por dúvidas dos profissionais da saúde a respeito de sua segurança.

Os efeitos Colaterias da Efedrina

Isso se deve aos seus efeitos colaterais, que podem ser prejudiciais caso o seu uso não seja realizado sem prescrição e acompanhamento médico. Os efeitos colaterais mais comuns ao usar este fármaco são: ansiedade, dores de cabeça, insônia e boca seca.

Sempre leia a Bula completa da Efedrina

Além dos efeitos colaterais mais comuns informados acima, dependendo do organismo de cada pessoa podem ocorrer outras reações adversas, como: efeito diurético leve, suor em excesso, perda de apetite, tremores, vertigem, nervosismo, diarreia, irritações no estômago e pedras nos rins.

Como tomar Efedrina

Importante ressaltar de que esses efeitos podem se reduzir após o organismo se acostumar com essa dose regular. Já se a dose da efedrina aumentar, esses efeitos podem voltar. Em geral, os efeitos colaterais mais sérios ocorrem devido ao seu uso abusivo ou que o paciente seja pré-disposto a algumas doenças do coração. Dessa forma, além de utilizar a substância com acompanhamento médico, o paciente deve medir sua pressão regularmente.

Onde comprar Efedrina

A Efedrina vende somente com receita médica e prescrição, por isso sempre consulte seu médico de confiança.

Categorias
Medicina

O que é Cloridrato de Fluoxetina

O cloridrato de fluoxetina é indicado para o tratamento da depressão, associada ou não à ansiedade. Também é indicado para o tratamento de bulimia nervosa, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e distúrbio disfórico pré-menstrual (PMDD), incluindo tensão pré-menstrual (PMS), irritabilidade e disforia (desconforto de ansiedade).

2. Como esse medicamento funciona?

Ação esperada de cloridrato de fluoxetina

O cloridrato de fluoxetina aumenta os níveis de serotonina no cérebro, resultando em sintomas melhorados de depressão, associados ou não com ansiedade, bulimia nervosa, transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e distúrbio disfórico pré-menstrual.

A resposta terapêutica do cloridrato de fluoxetina é observada poucas semanas após o início do tratamento. No entanto, se o paciente não apresentar melhora nos sintomas, o médico deve avaliar e reajustar a dose recomendada.

O cloridrato de fluoxetina é bem absorvido após administração oral. As concentrações plasmáticas máximas são alcançadas dentro de 6 a 8 horas.

3. Quando não devo tomar este medicamento?

Contraindicações e riscos do cloridrato de fluoxetina antes de tomar

O cloridrato de fluoxetina não deve ser utilizado por pacientes alérgicos a fluoxetina ou a qualquer dos seus excipientes. O cloridrato de fluoxetina não deve ser administrado a pacientes que tomem inibidores de monoamina oxidase reversíveis ou não reversíveis (MAOI), como PARNATE® (sulfato de tranilcipromina) (puro ou em combinação) e AURORIX® (moclobemida). Neste caso, o paciente deve esperar pelo menos 14 dias depois de parar o MAOI para iniciar o tratamento com cloridrato de fluoxetina. O paciente deve deixar pelo menos um intervalo de 5 semanas (ou mais, dependendo da avaliação médica, especialmente se o cloridrato de fluoxetina tiver sido prescrito para tratamento crônico e / ou de alta dose) após a descontinuação do cloridrato de fluoxetina e tratamento com MAOI ou tioridazina ( MELLERIL®). O uso combinado de cloridrato de fluoxetina com IMAO pode causar eventos adversos graves e pode ser fatal.

O cloridrato de fluoxetina está contra-indicado para pessoas com menos de 18 anos de idade.

4. O que devo saber antes de usar este medicamento?

Precauções, advertências e efeitos colaterais

Tal como acontece com outros medicamentos utilizados para tratar a depressão, o cloridrato de fluoxetina deve ser administrado com precaução aos doentes com história de convulsões. Em pacientes com diabetes, a hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue) ocorreu durante o tratamento com cloridrato de fluoxetina e hiperglicemia (alto nível de açúcar no sangue) após a descontinuação do cloridrato de fluoxetina. Portanto, a dose de hipoglicemia oral e / ou oral deve ser ajustada quando o tratamento com cloridrato de fluoxetina é estabelecido e após a suspensão.

Não houve diferença na segurança e eficácia do cloridrato de fluoxetina entre pacientes idosos e pacientes mais jovens. Outros relatórios de ensaios clínicos não identificaram diferenças nas respostas de pacientes jovens ou idosos, mas uma maior sensibilidade de alguns indivíduos idosos não pode ser excluída.

A possibilidade de uma tentativa de suicídio é característica de uma imagem depressiva e outros distúrbios psiquiátricos. Tal como acontece com outros antidepressivos com atividade farmacológica semelhante, casos isolados de ideação e comportamento suicida foram relatados durante o tratamento com cloridrato de fluoxetina ou logo após a interrupção do tratamento.

Embora não tenha sido estabelecida uma relação causal única para o cloridrato de fluoxetina na indução desse comportamento, uma avaliação conjunta de vários antidepressivos (incluindo o cloridrato de fluoxetina) indica um aumento do risco potencial de ideação e comportamento suicida em pacientes pediátricos e adultos jovens (<25 anos) em comparação para o placebo. O médico deve ser consultado imediatamente se o paciente, independentemente da idade, reportar algum pensamento de suicídio em qualquer fase do tratamento; o médico deve informar os pacientes para denunciar qualquer dificuldade ou diferentes sentimentos observados durante o tratamento em qualquer momento.

O cloridrato de fluoxetina deve ser usado com precaução em pacientes com pressão intraocular elevada ou em risco de glaucoma agudo de ângulo estreito (uma doença caracterizada por aumento da pressão intraocular que causa dor ocular severa e perda repentina de visão

Categorias
Medicina

Anfetamina Emagrece Mesmo

Anfetamina emagrece mesmo pois são classificadas como um remédio para emagrecer sintéticos. Devido sua ação estimulante do sistema nervoso central, que permite ao cérebro segregar mais dopamina. Essa substância é utilizada principalmente como um supressor do apetite.

O termo “Anfetaminas” normalmente se refere aos diferentes tipos. Tais como anfetaminas, dextroanfetamina e metanfetamina, afirma os EUA Drug Enforcement Administration. Enquanto as anfetaminas têm sido utilizados terapeuticamente desde 1920, devido seus efeitos secundários, em alguns países foi proibida sua comercialização. Em países onde ainda é permitido o uso, só é possível comprar sob prescrição medica.

Com graves efeitos colaterais, uma vez que o mecanismo das anfetaminas aumentam as funções corporais. Muitas partes diferentes do corpo podem ser afetada. Causando o aumento da frequência cardíaca e pressão arterial, tonturas, inchaço nas pernas e tornozelos, aumento da frequência urinária, boca seca, insônia, ansiedade, depressão, vômitos e falta de respiração.

Quando são tomadas por um curto período de tempo, e acompanhada juntamente com mudanças de estilo de vida, como comer refeições mais saudáveis, exercício físicos ​​e controle de calorias, a perda de peso pode ocorrer.

No entanto o uso estendido desse medicamento, pode causar dependência, e resistência do organismo a substância. O que torna necessário aumentar a dose, e como consequência, os efeitos colaterais também aumentam.

Altas doses e consumo frequente também pode criar uma psicose, caracterizado por delírios paranóicos, alucinações, bem como o comportamento agressivo e violento. Estes sintomas geralmente desaparecem alguns dias após a pessoa parar de tomar.

Categorias
Medicina

Anfepramona como Tomar

Você  sabe como tomar anfepramona corretamente para emagrecer?

Qualquer pessoa que tenha tentado perder peso durante muito tempo pode ter ouvido falar de anfepramona. Proibido no Brasil pela ANVISA há alguns anos atrás, a perda de peso retornou às prateleiras recentemente, e o Senado votou na semana passada por um projeto que permite a sua venda em definitivo. Por enquanto, o decreto que libera anfepramona – e outras substâncias como sibutramina, fenproporex e mazindol – ainda depende da sanção presidencial, mas está em processo de tornar-se oficial.

Tomar Anfepramona emagrece mesmo?

E é aí que surge um grande dilema para aqueles que querem perder peso; quer tomar ou não este tipo de medicamento que promete inibir o apetite?

Para lhe dar uma idéia de como essa droga causa controvérsia, a ANVISA determinou que a amfepramona só pode ser vendida com receita médica que será retida na farmácia e o médico que prescreve terá que assinar uma responsabilidade. Já o paciente irá assinar um documento reconhecendo que ele conhece os efeitos colaterais e os perigos da medicação. voce sabe o que eles são?

Efeitos colaterias da Anfepramona

Efeitos colaterais: assim que você começar a tomar anfepramona, sintomas comuns como boca seca, irritabilidade e constipação são comuns. Além disso, no entanto, sintomas mais graves aparecem como insônia causada por pesadelos e períodos de depressão, com a capacidade de causar gritos repentinos e constantes. Também há casos de aumento da pressão arterial e taquicardia. Para pessoas mais propensas, isso aumenta o risco de parada cardíaca e também acidente vascular cerebral.

Abstinência: consumada a longo prazo, a anfepramona torna-se uma droga como qualquer outra, com a ocorrência de retirada séria. Houve relatos de pessoas que tiveram tremores em suas mãos depois de parar a medicação, e também podem desenvolver depressão profunda e também servem como gatilho para a síndrome do pânico.

Antes leia a bula completa da Anfepramona

Contra-indicações: os riscos listados acima são considerados para pessoas saudáveis ​​sem qualquer tipo de doença diagnosticada. Para indivíduos com problemas cardíacos, distúrbios psíquicos e gastrointestinais, o perigo pode ser ainda maior. Tanto é que o remédio é estritamente proibido para mulheres grávidas, crianças, mulheres que amamentam e idosos.

Droga: capaz de causar os sintomas de abstinência que eu mencionei lá em cima, o uso de anfepramona tem popularizado como droga recreativa. Porque contém noradrenalina, um hormônio que causa euforia e bem-estar, a substância aumenta os batimentos cardíacos, reduzindo o sono e se cansando.

Preços e onde comprar Anfepramona

Importação: além dos riscos que já acompanham a fórmula, a burocracia para comprar o medicamento no Brasil criou um risco extra. Muitas pessoas acabam importando mais especificamente do Paraguai, cápsulas sem qualquer tipo de controle de qualidade. Sem a certeza de que é realmente o remédio, é uma situação ainda mais perigosa.

Antes e depois com Anfepramona

Vale dizer que a amfepramona reduz de 9 a 15 quilos em cerca de 3 meses, o que também pode causar o efeito do acordeão. Mas mais do que isso, consumir o remédio sem um acompanhamento rígido pode se tornar um grande problema de saúde, que não vale a pena.

Então, se você quer perder peso, a dica é buscar alternativas mais saudáveis ​​e seguras com suplementos naturais, dietas de desintoxicação, reeducação de alimentos. Se não funcionar, fale com o seu médico e avalie os prós e os contras muito antes de começar a tomar um medicamento como este.