Como prevenir o Diabetes

Como prevenir o Diabetes
Como prevenir o Diabetes

É impossível prevenir ou controlar o diabetes sem cuidar do que se come. Confira algumas dicas de como prevenir o Diabetes.

emagrecer

Um dos primeiros cuidados a se ter quando o diagnóstico de diabetes é confirmado é consultar um nutricionista. Isso porque a dieta é parte indispensável do tratamento e item primário quando o assunto também é a prevenção da doença. Quase todo alimento consumido vira glicose no organismo — em diferentes velocidades e proporções. Saber qual o alimento certo a ser consumido, portanto, é essencial. E como cada pessoa necessita de quantidades diferentes de nutrientes, a avaliação com um nutricionista torna-se importante para estabelecer uma rotina alimentar adequada.

Saiba como prevenir o Diabetes

Mudança para toda vida

E importante saber que as mudanças na alimentação do diabético não devem ser apenas periódicas, voltando a consumir guloseimas assim que a glicemia abaixa. Muito mais do que uma dieta com data para começar e terminar, o diabético deve adotar, portanto, a reeducação alimentar. E um conceito mais amplo, que envolve a formulação de várias dietas no decorrer cio tempo, conforme ocorrer a evolução do paciente com a sequência do tratamento. Consultas periódicas com o nutricionista são importantes para reformular o cardápio conforme o estado do paciente. Na consulta, será indicada a quantidade de calorias que poderá ser consumida, as combinações de nutrientes e alimentos que poderão ser feitas, a quantidade de carboidratos, etc.

Tudo equilibrado

O açúcar é o primeiro alimento temido quando há um quadro de diabetes. Isso porque ele eleva rapidamente a glicemia no sangue. Contudo, é importante lembrar que o açúcar é um carboidrato e, assim, todo alimento rico em carboidratos faz a glicose subir de forma rápida. Ainda assim, eles são a fonte primária de energia para o corpo e não precisam ser totalmente excluídos do cardápio. Importante mesmo é consumi-los na quantidade certa, e a fonte deve ser a de melhor qualidade possível, ou seja, fornecer outros nutrientes em conjunto.

Leia também:

Conheça os sintomas da Diabetes tipo 2

A glicemia depende diretamente da insulina produzida pelo pâncreas e da quantidade de açúcar, ou carboidratos, que ingerimos durante o dia. Quando a insulina produzida não é suficiente para que a glicose seja aproveitada, há excesso de glicose no sangue, caracterizando um quadro de hiperglicemia. No extremo oposto, a baixa ingestão de carboidrato em relação à quantidade de insulina circulante deixará pouca glicose no sangue, criando um quadro de hipoglicemia. Daí, o reforço sobre a importância de consultar um profissional da nutrição e verificar quais as melhores quantidades para cada caso.

Links Úteis:

Método inovador permite controlar o Diabetes em 30 dias sem efeitos colaterais
Assista ao vídeo do Dr. Rocha e conheça o Programa Diabetes Controlada
Reduza sua glicemia pela metade apenas mudando sua alimentação

Boas opções

Dentro de um cardápio balanceado, alguns alimentos podem ser incluídos para torná-lo ainda mais nutritivo e ajudar no controle da glicemia. Todo alimento deve ser consumido com moderação — uma vez que o que é saudável, se for ingerido em excesso, pode exercer efeito contrário. Confira algumas opções e o que elas podem fazer pela saúde!

Confira os 9 alimentos e saiba como prevenir o Diabetes

Quinoa: é um dos vegetais mais ricos em proteínas, além de possuir vitaminas e minerais e baixo índice glicêmico (libera glicose no sangue gradativamente). Os grãos podem ser consumidos cozidos, como o arroz.

Peixes: oferecendo boa quantidade de proteínas com baixo teor de gorduras, eles devem ser consumidos pelo menos duas vezes por semana, substituindo outras fontes de proteína como as carnes vermelhas e as aves. Principalmente os peixes ricos em ômega-3, como salmão, atum, arenque e sardinha, protegem contra doenças cardiovasculares. O ômega-3 melhora o sistema imunológico e diminui a agregação de placas nas artérias, reduzindo o risco de aterosclerose, além de ajudar na prevenção do diabetes. A aterosclerose ocorre quando o excesso de gorduras no sangue se acumula nos vasos sanguíneos, formando placas que prejudicam ou impedem o fluxo do sangue, podendo resultar em infarto.

Canela: algumas pitadinhas desse condimento no dia a dia ajudam no controle da glicemia. É benéfica em casos de diabetes tipo 2, pois o alimento consegue fazer as células melhorarem a sensibilidade à insulina.

Gengibre: é rico em antioxidantes que melhoram a circulação do sangue, prevenindo problemas causados pela doença. Além disso, é considerado um remédio natural poderoso contra enjoos.

Maçã: no caso das frutas, ter cuidado com a quantidade torna-se ainda mais importante, pois elas contêm frutose, um açúcar natural. Com moderação, a maçã reduz a absorção de açúcares e gorduras ingeridos, ajudando no controle da glicemia e do colesterol. Ela também é fonte de fisetina, uma substância que mantém a memória ativa.

Chá verde: A catequina, substância funcional encontrada na erva, previne a retinopatia e a neuropatia diabética. Também tem ação anticancerígena, digestiva e desintoxicante.

Alho: colabora com o controle da pressão arterial, melhorando a saúde do sistema circulatório. As substâncias do alho são melhor aproveitadas quando ele é consumido fresco — uma dica é picá-lo e acrescentar em molhos para saladas.

Oleaginosas: castanha-de-caju, castanha-do-Pará, nozes, amêndoas… Todas são opções de oleaginosas, que agem como vaso dilatadoras, relaxando os vasos sanguíneos e melhorando a pressão arterial. O ideal é não ultrapassar as três unidades diárias, pois, além de serem bastante calóricas, algumas opções podem se tornar tóxicas quando ingeridas em excesso (caso da castanha-do-Pará).

Batata yacon: Rica em libras, essa batata vem sendo utilizada em pesquisas com diabéticos, já que seu consumo não eleva significativamente a quantidade de açúcar no sangue.

Dicas gerais

Evite alimentos ricos em açúcar, como rapadura, mel, doces em geral (bolos, chocolates, balas, sorvetes) e refrigerantes. Para não testar a força de vontade, passe longe das prateleiras do supermercado que contenham esses produtos. Ao não levar para casa, manter a dieta fica mais fácil.

Troque os alimentos refinados pelos integrais, como arroz e pão. Os integrais são ricos em fibras, que auxiliam o funcionamento do intestino, reduzem o colesterol e aumentam a saciedade.

Evite as bebidas alcoólicas — algumas têm alto índice glicêmico, outras provocam hipoglicemia rapidamente e atrapalham a ação da insulina em diabéticos do tipo 1.
Aumente o consumo de fibras. Elas são encontradas em verduras, legumes, frutas e sementes como linhaça. As fibras solúveis são as que mais favorecem pessoas com diabetes. Ao entrar em contato com a água, essa fibra forma um gel que dificulta a absorção de açúcar. São encontradas no feijão, aveia, lentilha e em cascas de frutas como maçã e pera.