Emagrecimento e saúde: excesso de peso é o responsável por metade dos casos de diabetes

Emagrecimento e saúde: excesso de peso é o responsável por metade dos casos de diabetes
Emagrecimento e saúde: excesso de peso é o responsável por metade dos casos de diabetes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização Mundial da Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmam que o excesso de peso e a obesidade são os responsáveis por 44% dos casos de diabetes em todo o mundo; enquanto que 27% é dado como resultado de inatividade física. Dito de outro modo, isso ressalta a importância de uma alimentação saudável e da prática de atividade física de forma regular.

emagrecer

Na esteira das comemorações do Dia Mundial de Combate à Diabetes (14/11), faz-se necessário repensarmos alguns hábitos de vida na alimentação e no sedentarismo que não apenas pode aumentar o peso, mas podem trazer complicações mais sérias à saúde.

Neste contexto, só para se ter uma ideia do avanço epidêmico de diabetes no globo terrestre, a OMS destaca que em 1980 eram 180 milhões de pessoas espalhadas por quase todos os países. Agora, em comparação com estes dados, os números quase quadruplicaram em pouco mais de três décadas: pesquisas atuais apontam mais de 422 milhões de indivíduos têm diabetes ao redor do mundo.

Diabetes no Brasil

De acordo com dados trazidos pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), atualmente há mais de 13 milhões de diabéticos no Brasil, ou seja, isso representa 6,9% de toda a população nacional.

O pior é que este número está crescendo cada dia mais. E, em alguns casos mais particulares, o diagnóstico demora para sair ou a pessoa tarda em buscar informações e tratamento, favorecendo o aparecimento de complicações que poderiam ser evitadas. Por isso, pode ser que você ou alguém muito próximo tenha diabetes e ainda não saiba.

A alimentação saudável baseada não apenas em baixa ingestão calórica, mas, principalmente, na escolha de alimentos frescos, sem muito carboidrato, mas ricos em proteínas, minerais e vitaminas. De igual modo, uma rotina cotidiana de atividades físicas (na academia ou mesmo em casa com exercícios do tipo HIIT) faz toda a diferença para quem quer evitar a correlação entre obesidade e diabetes.

Ainda de acordo com a SBD é preciso ter muita atenção na relação entre sobrepeso e excesso de peso em geral quando o assunto é diabetes. E, como muitas das informações ainda são desconhecidas de grande parte do público, é importante ter conhecimento, por exemplo, das diferenças entre diabetes do tipo 1 e tipo 2. Abaixo, seguindo recomendações e dados da SBD, trazemos uma breve explicação sobre o assunto que pode te ajudar a perder peso e a evitar o desenvolvimento de diabetes.

  1. Diabates Tipo 1:
    Em algumas pessoas, o sistema imunológico ataca equivocadamente as células beta. Logo, pouca ou nenhuma insulina é liberada para o corpo. Como resultado, a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia. Esse é o processo que caracteriza o Tipo 1 de diabetes, que concentra entre 5 e 10% do total de pessoas com a doença. O Tipo 1 aparece geralmente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. Essa variedade é sempre tratada com insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas, para ajudar a controlar o nível de glicose no sangue.
  2. Diabetes Tipo 2:
    O Tipo 2 aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controla a taxa de glicemia. Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o Tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos, mas crianças também podem apresentar. Dependendo da gravidade, ele pode ser controlado com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos, exige o uso de insulina e/ou outros medicamentos para controlar a glicose.

Cuidados a se tomar

Se você apresentar sede intensa (mais do que o habitual), vontade de fazer xixi de forma frequente, aumento da fome e perda de peso irregular sem motivo aparente, entre em contato com os serviços de saúde, pois estes sintomas geralmente aparecem quando há diabetes. Diagnóstico e tratamento podem ser fornecidos em qualquer um dos serviços no âmbito do Ministério de Saúde.

Por fim, segundo OMS, a doença é a maior causa de cegueira, problemas renais, ataques do coração, derrames e amputações. E muita atenção: a prevalência de diabetes também tem aumentado de forma mais rápida em países de baixa e média rendas e não apenas em países tipicamente relacionados às comidas fast food, como os EUA, por exemplo.

Em entrevista à Rádio Vaticano, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ressaltou que mais ações de prevenção e para melhorar o sistema de serviços de saúde são urgentes para acabar com os problemas de diabetes e excesso de peso. Ban Ki-moon disse que o objetivo é que “todas as pessoas que tenham essa doença debilitante possam receber o apoio que precisam”.