Café – Benefícios, Dicas e Receitas

Café – Benefícios, Dicas e Receitas
Café – Benefícios, Dicas e Receitas

O café foi introduzido no Brasil em 1723 e, em pouco mais de um século, transformou-se no nosso principal produto de exportação. estimulante e saboroso, o tradicional cafezinho faz parte do dia-a-dia do brasileiro. Mas ele também é usado como ingrediente de pudins, suflês, sorvetes, musses, pavês 1 e bolos.

emagrecer

O cafeeiro, chamado cientificamente de Coffea arabica, é um arbusto de forma piramidal, que pode alcançar de 4 a 5 m de altura. Suas folhas são grandes e se conservam verdes em qualquer período do ano. O cafeeiro dá pequenas flores brancas de aroma suave que, depois de serem fecundadas, transformam-se em frutos redondos, verdes durante a formação e amarelos, rosados ou vermelhos quando amadurecem.

Dentro de cada fruto estão as sementes do café, esses grãos que, depois de torrados e moídos, são a base da famosíssima e tradicional infusão: o cafezinho. Depois que os frutos estão maduros, realiza-se a colheita. O processo mais comum para colher o café é o chamado de derriça, no qual o coletor corre a mão pelos ramos, fazendo cair todos os frutos. Uma vez feita a derriça, o café é amontoado junto aos cafeeiros e, em seguida, peneirado para separar as impurezas que ainda conserva, como folhas ou galhos.

Os frutos são então levados ao terreiro (uma grande extensão de terra aplainada) para a secagem. Ali começa o processo conhecido como beneficiamento, no qual o café espalhado no terreiro é remexido diariamente durante dez ou doze dias. Depois de seco, o café segue para as tulhas, onde permanece cerca de quarenta dias para uniformizar o teor de umidade dos grãos. Finalmente, é classificado, ensacado e vendido.

Há ainda outro método para beneficiar o café, que consiste em despolpar o grão, deixando-o fermentar para depois lavá-lo. Esse método produz um café de melhor qualidade e, embora mais adequado. é ainda pouco usado no Brasil, devido ao alto custo dos equipamentos que requer.

Valor Nutritivo do café

A composição é bastante complexa. Ele contém elementos energéticos (glucídios, lipídios e protídios), alguns sais minerais (potássio e magnésio), vitaminas e alcalóides, como a cafeína. Com a torrefação, no entanto, toda a sua riqueza nutritiva e energética se perde. Em compensação, a cafeína se concentra, aumentando suas propriedades estimulantes.

A cafeína favorece a digestão, pois ativa a secreção dos sucos gástricos, o que facilita o funcionamento do intestino. Em doses moderadas, atua beneficamente sobre o sistema nervoso central, favorecendo a percepção dos estímulos sensoriais e das funções cerebrais.

E também um tônico cardíaco (em doses elevadas, chega a atuar de forma contrária, abrandando os movimentos do coração) e estimula o funcionamento dos rins. O uso é contraindicado para crianças pequenas e para pessoas que sofrem de irritação nervosa anormal.

Como comprar

Pode ser encontrado em forma de pó torrado e moído, em grânulos, em pó solúvel e descafeinado (produto dietético não muito consumido no Brasil porque nosso café já tem pouca cafeína).

Como guardar

Para não perder o aroma, o pó deve ser guardado em lata ou pote hermeticamente fechado e mantido em lugar seco e ventilado. A colher usada para retirar o café do recipiente sempre deve estar limpa e seca. Recomenda-se comprar em pequena quantidade, para que não fique guardado por muito tempo.

Como preparar

A proporção correta para fazer um bom café é de 1 colher (sopa) de pó para cada xícara (chá) de água, sendo que 5 colheres de pó e 1 litro de água fornecem de 8 a 10 cafezinhos. Esquente a água até que comece a levantar fervura (se ferver muito prejudica o sabor).

Em seguida, acrescente o pó e misture bem com uma colher, sem deixar que ferva. Logo depois, coe, fazendo passar o líquido pelo coador de flanela. Para que o café não esfrie rapidamente, escalde o coador e o bule.

Para preparar com coador de papel, coloque o coador no suporte e acrescente o pó. Quando a água começar a ferver, despeje-a vagarosamente no coador para umedecer o café por igual. Também escalde o bule para que não esfrie rapidamente.

Receitas de Café da Manhã Low-Carb Para Emagrecer Feliz

Equipamento para fazer café

Os melhores tipos de coador são os de flanela. Devem ser fervidos, antes de serem usados, com pó de já coado, para que o café não fique com gosto de pano.

Depois de usado, lava-se o coador em água corrente (sem sabão), escalda-se de novo e guarda-se em lugar ventilado. O coador deve ser usado todos os dias para que não fique com cheiro de mofo.

O bule e a chaleira utilizados para fazer não devem ser usados no preparo de outros alimentos, pois isso alteraria o sabor da infusão. O coador de papel e o suporte de plástico devem estar sempre limpos, assim como o bule onde é recolhido.

Outras utilidades

Aproveite o pó de já usado para lavar galheteiros e vidros de azeite. Ele também é bom para lavar e clarear pias brancas.
Depois da faxina, esfregue um pouco de pó usado nas mãos. Elas vão ficar claras e macias.
Depois de fazer o café, use o pó que sobrou para desentupir a pia ou coloque no armário para espantar formigas.

Café solúvel

Desde o século passado, pesquisadores de outros países procuraram descobrir uma maneira de fabricar o café solúvel, produto que conserva o aroma e o sabor naturais do café torrado e moído.

As experiências pareciam demonstrar que era impossível obter esse produto, até que, em 1930, o Brasil entrou na pesquisa. Poucos anos depois, pesquisadores brasileiros produziram pela primeira vez um pó marrom, parecido com o natural, e inodoro, que só liberava seu aroma ao entrar em contato com a água: era o primeiro café solúvel.

Esse tipo é feito por secagem. Primeiro prepara-se a infusão, com o produto natural e coloca-se em recipientes enormes, onde toda a água evapora e ficam os cristais. Esses cristais se transformam novamente em café quando se acrescenta água.

O café solúvel deve ser preparado em porções individuais. Meça 2 colheres (chá) cheias e coloque na xícara. Em seguida, adicione o açúcar e misture bem. Depois, despeje a água quente (que apenas levantou fervura) e mexa bem.

Para que fique espumoso, coloque apenas algumas gotas de água na mistura de pó e açúcar e bata bem até obter uma pasta. Depois, acrescente o resto da água.

Também faz parte do Brasil

O cafeeiro é uma planta originária da Etiópia, na África, mas sua difusão começou na Arábia onde era muito consumido. Em 1554, já era conhecido na Europa, e começou a ser cultivado pelos europeus nas suas colônias dos oceanos Indico e Pacífico — Ceilão, Java e Sumatra.

No decorrer do século XVIII, o café chegou às Antilhas e à América Central, de onde passou ao Brasil, entrando pela região do atual Estado do Pará. Já na segunda metade daquele século, a cultura do café tinha “se expandido pelo sul do país, onde se estabeleceram grandes fazendas produtoras.

Cem anos depois, por volta de 1860. a produção do Vale do Paraíba tinha crescido tanto que a província de São Paulo se transformou no principal centro produtor do país, iniciando um novo ciclo da economia brasileira. E, então, os fazendeiros ou barões, passaram a ser a camada dirigente da nossa política, de tal forma que os três primeiros presidentes civis da República foram paulistas.

A partir de 1890, o Brasil se tornou o maior produtor mundial. No entanto, a centralização da economia brasileira no café só durou até 1929, pois o colapso na bolsa de Nova York acabou atingindo duramente a “economia do café”.

Café pelo mundo

Irlandês – Coloque 2 colheres (sopa) de uísque num copo e acrescente 1 xícara (chá) de café forte bem quente. Por cima, coloque uma colherada de creme chantilly. Sirva em seguida.

Paris – Passe suco de limão ao redor da boca de um copo. Coloque um pouco de açúcar num pires e mergulhe nele a boca do copo, para que fique um aro de açúcar. Esquente 1 dose de conhaque numa panela. Coloque o café bem quente no copo e acrescente o conhaque. Flambe e sirva ainda em chamas.

Caribe – Coloque 1 doe de rum numa caneca grande de vidro. Complete com café bem quente e, por cima, coloque uma bola de sorvete de chocolate. Cubra com um pouco de chantilly.
com água fria para assentar melhor. Para servir, primeiro coloque café até a metade de cada xícara e depois complete.

Turco – Como este café não é coado, para prepará-lo é necessário um tipo de pó especial, mais fino. Para cada pessoa, calcule 1 colher (chá) de café, 1 xícara (café) de água e 1 colher (chá) de açúcar. Junte a água e o açúcar numa panelinha e leve ao fogo. Quando começar a ferver, diminua o fogo e acrescente o pó de café, mexendo bem. Quando começar a levantar fervura novamente, retire do fogo e respingue.

Russo – Coloque gelo picado até a metade de um copo de vinho. Junte 1 colher (chá) de pó de café solúvel, 1 colher (sopa) de açúcar e 1 colher (sopa) de vodca. Mexa bem e cubra com creme chantilly.

Vienense – Faça um café forte e deixe na geladeira até ficar bem gelado. Despeje em copos altos, coloque uma bola de sorvete de baunilha em cada copo e acrescente leite frio a gosto. Cubra com creme chantilly.

Dicas Culinárias

  • Ficará mais saboroso se você comprar o produto moído na hora.
  • Para que o pó conserve seu aroma por mais tempo, guarde na geladeira em recipiente hermeticamente fechado.
  • O café solúvel pode ser guardado por bastante tempo. Desde que esteja em um vidro bem fechado, ele não sofre alterações.
  • A qualidade da água também influi no sabor. Se ela estiver com cheiro ou gosto de cloro, use água filtrada ou mineral.
  • Para dar um sabor diferente, misture ao pó do coador uma colherinha (chá) de chocolate, antes de despejar água.
  • Para ficar mais cheiroso, adicione à água fervente uma pitada de sal.
  • Nunca requente o café diretamente no fogo: ele fica melhor quando requentado em banho-maria.
  • Para adoçar, você pode usar açúcar mascavo ou rapadura esfarelada, atêm de açúcar refinado.
  • Algumas pessoas preferem o café mais torrado. Para isso. coloque o pó numa panela e 4 torre-o ligeiramente antes de usar.